Publicações
Quinta, 13 Setembro 2018

Ribeirão Preto ganha cadastro de pessoa desaparecida

A Prefeitura de Ribeirão Preto vai criar nos próximos 90 dias o Cadastro Municipal de Pessoas Desaparecidas (CMPD). A medida é para atender uma lei do vereador Rodrigo Simões (PDT), já sancionada pelo prefeito Duarte Nogueira (PSDB) no Diário Oficial do Município (DOM).

Terça, 11 Setembro 2018

Exposição vê realidade de famílias que lidam com o desaparecimento de parentes

Entre os dias 12 a 30 de setembro, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha apresenta a exposição A Falta Quê Você Faz, em São Paulo, no Museu da Imagem e do Som (MIS). A mostra reúne imagens da fotógrafa brasileira Marizilda Cruppe que retratam de maneira sensível a questão das pessoas desaparecidas, com fotos e depoimentos de 16 famílias que tiveram que lidar com o sumiço de parentes.

Segunda, 10 Setembro 2018

Uma média de sete pessoas desaparece por dia no Distrito Federal

Quando alguém desaparece, famílias esperam horas, dias e até muitos anos por alguma notícia. Os dados mais recentes da Secretaria de Segurança Pública (SSP-DF) indicam que, em média, ao menos sete famílias por dia sentiram essa agonia na capital em 2017. No período, o número de pessoas desaparecidas chegou a 2.767.

Sexta, 07 Setembro 2018

A cada hora uma pessoa desaparece no RS

Em média, um desaparecimento é notificado por hora no Estado. Dados da Polícia Civil indicam que entre janeiro e julho deste ano foram 5.180 registros. Isso representa 24 casos por dia. É preciso considerar que o número não representa o dado real. É frequente a incidência de pessoas que somem mais de uma vez. A falta de comunicação da localização também impede a polícia de informar com exatidão quantas pessoas estão desaparecidas no Rio Grande do Sul.

Quinta, 06 Setembro 2018

'Meu filho foi enterrado e só me avisaram 2 anos depois': como Brasil prolonga sofrimento de famílias de desaparecidos

"Robson, eu estava procurando você", sussurrou Leonardo da Cruz quando chegou à cova do filho, enterrado como indigente no cemitério de Perus, extremo da zona Norte de São Paulo. O local da sepultura mais lembra um terreno abandonado, com mato alto, sem lápides, sem lembranças.

Realização:

Apoio:

FECHAR X