Quinta, 24 Janeiro 2019

Cresce o número de crianças perdidas em praias do litoral de São Paulo

O Grupamento de Bombeiros Marítimo - Salvamar Paulista localizou 144 crianças perdidas em Praia Grande, no litoral de São Paulo, somente nos primeiros 20 dias de 2019. O número quase superou os registros feitos ao longo de todo o ano de 2018, que foram 152.

Em Guarujá, o número de casos em 2019 ultrapassou o ano passado. A cidade soma 50 crianças encontradas pelos bombeiros, frente a 43 em 2018. Nas demais cidades da Baixada Santista, o terceiro maior número de casos foi registrado em Bertioga, com 11 ocorrências (confira a tabela abaixo).

Em nota, a prefeitura de Praia Grande informou que contratou 45 novos guarda-vidas temporários para reforçar a segurança nas praias, além dos 67 já contratados pelo Governo do Estado. A administração municipal destaca, ainda, o projeto Patrulha Kids, direcionado para cuidar da segurança de crianças perdidas na praia. Uma equipe da Polícia Militar (PM) fica em cada uma das 12 arenas do projeto Estação Verão Praia.

Já a prefeitura de Guarujá informou que a Guarda Municipal coordena o projeto "Não Se Perca de Mim", que consiste no cadastro e distribuição de pulseiras de identificação e auxilia o reencontro das crianças com seus responsáveis nas praias das Pitangueiras e Astúrias.

Distribuição de pulseiras
Durante todo o ano, o Grupamento de Bombeiros desenvolve uma campanha de distribuição de pulseiras de identificação às crianças nas praias, com o nome da criança e do responsável, além de telefone para contato.

"Fator muito característico do desaparecimento de crianças é querer marcar o guarda-sol da família como ponto de referência, onde a criança se afasta para brincar e, quando se atenta, todos os guarda-sóis são da mesma cor, modelo, ou muito parecidos, motivo pelo qual a criança se desespera e sai à procura dos familiares, percorrendo, por vezes, até a praia ao lado", afirma o tenente coronel da Polícia Militar (PM), Salvador Alves Diniz Filho.

Ele explica que, ao perceber o desaparecimento da criança, o responsável deve procurar o guarda-vidas ou entrar em contato com o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193. "A Base de Salvamento Marítimo de Santos criou uma divisão de cor da pulseira de identificação para que o guarda-vidas, ao avistar a criança perdida, saiba em qual setor encontram-se os familiares", diz.

Anjos do Verão
O ato de bater palmas nas praias do Guarujá quando os banhistas encontram uma criança perdida se popularizou graças ao projeto Anjos do Verão, que surgiu em 2006. Segundo o coordenador do projeto, Rui Silva, houve uma expansão para outras cidades da região e agora o objetivo é investir em tecnologia.

"A população adotou o hábito de bater palmas. Por isso, agora, o Anjos do Verão está investindo em tecnologia. Se antes precisava usar as duas mãos, agora a gente usa só a ponta dos dedos”, afirma.

Quem encontrar uma criança perdida em qualquer cidade da região, ou até mesmo objetos, como óculos, relógios e celulares, pode entrar em contato pelo aplicativo ‘AAAngels’. "A partir do momento em que os banhistas se mobilizam, a praia fica mais segura", finaliza Silva.

Crianças localizadas pelos bombeiros*
Praia Grande:
2018: 152
2019: 144

Guarujá:
2018: 43
2019: 50

Bertioga:
2018: 39
2019: 11

Mongaguá:
2018: 60
2019: 10

Itanhaém:
2018: 37
2019: 10

Santos:
2018: 58
2019: 9

São Vicente:
2018: 46
2019: 3

Peruíbe:
2018: 13
2019: 3

*Os números de 2019 se referem apenas aos 20 primeiros dias do ano. Já os números de 2018 são referentes ao ano passado inteiro.

Fonte: G1 Santos

Realização:

Apoio:

FECHAR X