Quarta, 14 Março 2018

No Rio Grande do Sul, quase 17 mil crianças e jovens desapareceram em três anos

Evento em Porto Alegre debate problemáticas e políticas públicas sobre crianças desaparecidas. Estima-se que, a cada dia, 12 crianças e adolescentes desaparecem no Rio Grande do Sul. Os pais nunca cessam de procurá-los.

Somente neste ano, quase mil crianças e adolescentes foram dadas como desaparecidas no Rio Grande do Sul. Somente na capital foram 300 casos em três meses. Do total, cerca de 25% desses menores continuam desaparecidos. Os dados foram contabilizados pela Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (Deca) da Polícia Civil do Estado. Mas nos últimos três anos, 16.816 menores ou com idade de 17 anos desapareceram no estado, sendo que 4.328 destes desaparecimentos foram registrados somente em Porto Alegre.

Com base nestes números, o Conselho Federal de Medicina (CFM) quer chamar a atenção da população para esse problema que é nacional. Com apoio do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul (Cremers), o CFM realiza, na sexta-feira 6 de abril, em Porto Alegre (RS), o Seminário sobre Crianças Desaparecidas. O evento começará às 9h no Auditório do Cremers no Bairro Santana. A iniciativa faz parte de uma série de ações para chamar a atenção da sociedade para o tema e visa debater as problemáticas e as políticas públicas com autoridades e médicos do estado.

O evento, que é aberto a comunidade e entidades, destacará também o trabalho de notificação e busca dos desaparecidos, além da necessidade de uma política integral e coordenada. Na ocasião, os participantes serão convidados a aderirem ao abaixo-assinado em defesa da efetivação do Cadastro Nacional de Crianças e Adolescentes Desaparecidos. 

De acordo com dados compilados pelo CFM, estima-se que, no mundo, o total de casos de desaparecimento de crianças e adolescentes chega a 25 milhões. “O número de crianças desaparecidas é muito maior do que as pessoas imaginam. No Brasil há uma estimativa de que sumam 50 mil por ano. Por isso é tão importante que os profissionais notifiquem qualquer tipo de violência que podem indicar uma situação irregular. Defendemos o lugar dos médicos junto à população”, ressaltou Ricardo Paiva, membro da Comissão de Ações Sociais do CFM.

SERVIÇO:

Seminário sobre Crianças Desaparecidas

Local: Sede do Cremers - Av. Princesa Isabel, 921 - Bairro Santana. Porto Alegre – RS

Data: Sexta-feira, 6 de abril

Horário: De 9 às 13h

Participação livre e gratuita.

Informações: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

PROGRAMAÇÃO PRELIMINAR:

9h abertura

Henrique Batista e Silva – secretário-geral do CFM (10’)

Fernando Weber Matos – presidente do Cremers (10’)

9h20 – Palestra “O problema e os números do desaparecimento”

Ricardo Paiva – Comissão de Ações Sociais do CFM (20’)

9h40 - Exposições:

Visão do Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (Deca) da Polícia Civil do Estado (10’)

Visão do Ministério Público do Estado - (10’)

Visão do Sociedade Civil – mães de desaparecidos (10’)

Visão do Sociedade de Pediatria - (10’)

10h30 – debates

12h40 – Informações sobre abaixo-assinado

Paula Peixoto - Comissão de Ações Sociais do CFM (10’)

13h - Encerramento

Realização:

Apoio:

FECHAR X